DIPLOMA DE MULHER

                                      

       Nem sempre a mulher costuma perceber o momento exato em que começa a deixar a fase reprodutiva para dar entrada a um período novo e diferente na sua vida. Seu corpo inicia um estágio de lentas, múltiplas e profundas transformações. Assim como a menina deixa, pouco a pouco, de ser criança, perdendo os interesses próprios da infância para virar uma moça que busca a sua autoafirmação no mundo dos adultos, da mesma forma, a jovem senhora é promovida a adentrar um ciclo desconhecido de sua existência, onde tudo pode acontecer e fugir ao seu controle. Por isso mesmo, é normal que apareça, nessa época, um certo receio de envelhecer.

       Mas entrar na menopausa não significa ficar de castigo num quarto escuro à mercê de um bicho papão. Faz parte do seu crescimento como pessoa humana. É subir mais um degrau na escala evolutiva, considerando que  ninguém atinge essa etapa sem antes ter vencido muitos obstáculos, adquirido muitas experiências e conquistado o passaporte da maturidade que a faz se sentir cada vez mais uma verdadeira mulher.

       Um médico de sua confiança saberá orientá-la nessa longa caminhada de altos e baixos até que encontre um terreno firme onde possa firmar os seus pés e caminhar por si mesma. Os exames dirão quando a jornada estiver prestes a começar. Se houver falhas na menstruação, não vá logo abandonando os anticoncepcionais porque esse é um processo longo de mudanças e não garante que você esteja livre de engravidar. É melhor ter cautela do que confiar na própria sorte e ganhar uma gestação que já não está mais dentro dos seus planos, além da exposição aos riscos que isso implica. A idade não quer dizer nada. Há mulheres que estão férteis até perto dos 60 anos. E não são casos tão raros como se pensa.

       A escolha de um anticoncepcional com baixa dosagem de hormônios além de prevenir a gravidez, ajuda a mascarar os sintomas da menopausa, evitando os calorões, diminuindo a ansiedade, impedindo a formação de cistos ovarianos e mamários que são comuns nesse período transitório e deixando a mulher muito mais disposta para a realização de suas atividades cotidianas. É um forte aliado para atravessar esse caminho incerto. O uso do contraceptivo não faz mal algum e, portanto, por mais que não seja necessário, não provoca o aparecimento de câncer nas mamas, contanto que seja de baixa dosagem hormonal. Geralmente é uma cartela de comprimidos que tem um preço bem mais elevado em comparação aos mais comuns. Se a mulher tem condições financeiras para comprá-lo, vale a pena pois evitará sentir o desconforto de quem nada usa para esse fim. A sua pele ficará com uma aparência jovem e saudável e você nem acreditará que está em pleno período da menopausa. Convém lembrar que, se houver casos na família de câncer de mama, a mulher não poderá fazer a reposição hormonal pois a dosagem é elevadíssima em relação aos anticoncepcionais de baixa dosagem. Nestes casos, é mais recomendável prolongar o uso do anticoncepcional para evitar os transtornos próprios de quem atravessa esse período.

       Nesse como em todos os períodos de sua vida, é sempre bom manter uma atividade física, algo que ajude a queimar calorias e exercitar os músculos. Na menopausa a mulher costuma ganhar peso, mesmo comendo a mesma quantidade de alimentos que comia antes dessa fase. O ideal são as caminhadas pois fortalecem os ossos e proporcionam à pessoa respirar o ar puro e tomar sol, -(melhor do que se exercitar em ambientes fechados e cheio de gente) - o que é indispensável para ajudar a combater a osteoporose. A mulher deverá reduzir a quantidade de alimentos que consome se não quiser engordar, dando preferência às proteínas, legumes, frutas, grãos e poucos carboidratos. Os sucos naturais, água e leite devem ser ingeridos no lugar dos refrigerantes que não fazem bem à saúde. O açúcar não precisa ser cortado drasticamente da dieta a não ser que haja caso de diabetes na família. Um docinho de vez em quando não faz mal. O que não pode é comer sobremesa diariamente, ainda mais quando há pessoas que não resistem e repetem a dose, principalmente nas festas ou ocasiões especiais.

       A mulher tem que ter consciência de que a menopausa não é a última etapa de sua vida. Ainda tem muita estrada pela frente. Nada de se enfiar num pijama e passar o dia inteiro sentada assistindo novelas e comendo porcarias. Você poderá ser muito útil para si mesma e para a sua família, ajudando a atender os negócios, cuidando do próprio lar ou até mesmo exercendo atividades comunitárias na sua região. Não se entregue como se nada mais pudesse fazer. Arrume-se. A aparência desleixada fará com que os demais sintam pena de você. Mostre que está se sentindo muito bem e, mesmo que não esteja, se você usar uma roupa nova de vez em quando, passar uma maquiagem, ainda que suave, pintar e fazer um novo corte no cabelo, isso levantará o seu astral. Pode ter certeza disso. Não se isole. Procure amigas e marque encontros para se distraírem juntas. Converse bastante. Não sinta vergonha de estar atravessando essa fase. Sinta-se orgulhosa por ser quem é e ter chegado aonde chegou e de cabeça erguida pois a mulher é muito mais forte do que o homem. O homem detém a força física. A mulher, a força moral.

Mulher na menopausa é mulher diplomada pela própria vida. Ostente com orgulho o seu diploma, o seu comprovante de uma existência muito bem aproveitada para que sirva de lição e exemplo a todos os que ainda não chegaram nem perto do seu pico evolutivo.

 

                                                             Elisabeth Souza Ferreira

 

 

        É muito fácil apontar o dedo e reduzir uma mulher a pó. Mas, ninguém sabe a sua verdadeira história. Portanto, nunca se refira a ela com palavras de baixo calão porque por trás de alguém que se perdeu na vida, certamente, existe uma figura masculina que a  levou para o mau caminho.   

        Nenhuma mulher merece ficar rolando de mão em mão como uma batata quente que ninguém quer. Mulher é gente que merece ser amada e respeitada.        

        Há homens que não têm paciência e que a menor contrariedade já é o suficiente para uma agressão. Não sabem perdoar e partem para a violência, baseando-se muitas vezes em uma mera desconfiança e que nada tem de concreto. Muitas mulheres já perderam a vida por causa de ciúmes infundados. Chega de violência. Se o homem estivesse mais presente na vida da mulher, haveria menos traições, menos mentiras e o amor não seria um produto de consumo que acaba com o passar do tempo.       

         Planta que é cultivada diariamente não morre. E, se adoecer, tem grandes possibilidades de cura. Mas, se for abandonada e desprezada, deixará de amar o homem que a encantou um dia.O homem que tem muitas mulheres, na verdade, não tem  nenhuma. A mulher tem que se valorizar mais e ficar com o homem que a tenha como uma prioridade e não como uma opção em sua vida.

          Feliz Dia da Mulher!

                                   

              Elisabeth Souza Ferreira

DIA INTERNACIONAL DA MULHER

© 2023 por Amante de Livros. Orgulhosamente criado com Wix.com

  • Facebook B&W
  • Twitter B&W
  • Google+ B&W